LIMITES AO DIREITO DE ARREPENDIMENTO DO CONSUMIDOR